Laimons e Rebeca

Laimons e Rebeca

sábado, 15 de janeiro de 2011

[lei, LIBERDADE, libertinagem] – O Equilíbrio Entre os Extremos.

Por muitos anos, vi e ouvi diversos sermões sobre a Graça, sobre a Lei, e sobre o pecado. Geralmente, a mensagem central era a de que em Jesus estávamos debaixo da graça. Até aí, sem muita novidade, a não ser pelo simples motivo de que eu nunca havia entendido a real diferença entre Lei e Graça. O que eu não imaginava, era que entender a respeito da graça mudaria a minha vida e a forma de entender o evangelho. Descobri quem eu era: um Legalista! Eu que até poucos anos antes, havia vivido como libertino, sem lei, sem-Graça, passei de fora-da-Lei para assassino da Graça.
Bem, você só poderá entender melhor como me senti, se você entender pelo menos de forma razoável quais as diferenças entre a Lei, a Liberdade e a Libertinagem. Coloco a Liberdade entre as outras duas, porque a Liberdade é Graça, e precisa ser vivida com cuidado quanto aos extremos: Lei e Libertinagem.
Conforme Paulo diz aos Corintios: Mas, pela graça de Deus, sou o que sou, e sua graça para comigo não foi inútil; antes, trabalhei mais do que todos eles; contudo, não eu, mas a graça de Deus comigo. 1 Cor. 15.10 
  O Antigo Testamento (AT), nos revela a Lei, o padrão pelo qual deveríamos viver para agradar a Deus. No entanto, o AT inteiro nos revela que o homem é incapaz de cumprir a Lei, e a Lei não é ruim. A Lei é perfeita! Nós é que não somos perfeitos.
Então Deus envia Jesus, o Sacrifício Perfeito! Isto significa que não preciso mais sacrificar animais para me purificar dos meus erros! Além disso, quanto a Lei, ela tem um novo significado: Mostrar que sou pecador, mostrar que não há nada de bom em mim - alguns podem dizer: ah, até que eu não sou tão ruim assim – , e se há algo de bom em mim, isso não é meu, mas sim é dom de Deus, é misericórdia de Deus, porque eu não mereço nada. Mas em Cristo, é dada a salvação pela graça, e isso não vem de nós, mas sim por meio da fé em Jesus. É dom de Deus, e não por obras. (conforme Efésios 2.8-10).
Então, entendo que não preciso mais viver pela Lei. Entendi que não posso cumpri-la. Estou livre da lei! A Graça me deu liberdade de vida, para não viver mais por tentativas de ser perfeito, e sim ser imitador de Cristo. Sem a Lei, estou livre. Liberdade é a grande novidade!
No entanto, a graça tem o lado arriscado: Na graça sou livre, inclusive para pecar, mas o que a palavra de Deus nos ensina?
- 1º Cor 6.12 diz: Tudo me é permitido, mas nem tudo convém. Tudo me é permitido, mas não deixarei que NADA me domine!
- Rom 6.1 e 15 diz: Que diremos então? Continuaremos pecando para que a graça aumente? De maneira nenhuma! Nós, os que morremos para o pecado, como podemos continuar vivendo nele? E então? Vamos pecar porque não estamos debaixo da lei, mas da graça? De maneira nenhuma!
A graça me dá liberdade e por isso há o risco de eu viver no pecado, já que estou sem lei, acabo indo ao outro extremo que é a libertinagem. Paulo sabia que existia essa possibilidade quando ele ensinava sobre a graça. Ela realmente é arriscada. Então como devemos viver? Alguns conselhos:
- Buscando ser imitadores de Cristo, não para cumprir ritos, leis, agradar pessoas, etc, mas;
- Buscando a excelência no viver, que de fato só alcançaremos quando estivermos glorificados com Cristo, e assim;
- Prosseguindo para o alvo! Não por leis, não por uma vida vivida de qualquer jeito (libertina), mas vivamos com a Graça, com a Liberdade, mas;
- Vivamos com a Graça, com a Liberdade, buscando a cada dia, o Equilíbrio entre os extremos!
              Pois a Graça de Deus não me foi em vão! Por que Deus enviou seu Filho Jesus para morrer por mim e por você, e não nos custou nada, e nunca merecemos! Foi “de” GRAÇA mesmo, e ela é maravilhosa!
                                                    
                     por: Laimons Bumbeers

Nenhum comentário:

Postar um comentário