Laimons e Rebeca

Laimons e Rebeca

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Passei Pela Porta Estreita, Ou Estou Só Apreciando A Beleza do Hall de Entrada?


Hoje, no Brasil, temos disponíveis muitas igrejas e denominações chamadas evangélicas. A grande maioria oferece artifícios diferentes para atrair pessoas, como a chave da vitória para obter a casa própria, fogueira santa, sabonete do amor, pão da vitória financeira, cura milagrosa, etc. Pouco se fala sobre o senhorio de Cristo. Pouco se fala do Caminho a ser trilhado para aqueles que desejam seguir a Jesus.
Com o surgimento de tantas denominações, estilos de lideranças e defendendo diferentes verdades, as pessoas são levadas a crer que o Reino de Deus se resume em “ter”. Ter prosperidade, ter a cura, ter a conquista, ter a vitória.

Não se sabe até onde os discursos levarão as pessoas, e se não se sabe aonde chegarão, é muito provável que não se tenha um caminho a trilhar, pois não encontraram o Caminho. Jesus nos diz que estreita é a porta e apertado o caminho que traz vida.
Imagino que ao longo do tempo nós construímos um hall ao redor da porta estreita, no qual vamos colocando pilares e colunas, um pé-direito alto, e com toda a imponência, deixamos este hall belíssimo, adornado em ouro, com suas colunas gigantes e vistosas em granito, e aqueles que adentram o hall já não sentem desejo de adentrar a pequena porta que se encontra ali.
Há um sentimento de prazer no hall.
No hall o discurso é religioso, as pessoas falam o evangeliquês.
O hall é um ambiente muito parecido com o templo dos fariseus.
Muitos imaginam que por estarem, ali, já estão no Caminho. Mas o hall não é o caminho, e longe disso, tudo não passa de engano.
São enganados por falsos profetas, que ensinam o que lhes convém, e, assim, arrastam multidões para este hall.
O problema é que a porta larga que leva à perdição talvez esteja logo ali, dentro do hall onde também está a porta da vida que se apaga na visão da porta larga da perdição. E o mais perigoso, é que provavelmente o hall já seja a própria porta larga e assim o hall se torna em hell (inferno em inglês).
Cristo diz: Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida.
Onde você se encontra? No hall, apreciando essa mega e imponente construção, ou já está no Caminho a trilhar após a entrada na porta estreita? O que você está construindo? Um hall ou a igreja de Cristo?
Jesus convida você a prosseguir por este Caminho. Vamos refletir sobre isto neste domingo!
Conto com você em mais esta jornada de reflexão!
#MB9deJulho - Rua Marechal Renato Paquet, 66 - Jd. 9 de Julho - São Paulo - SP
Domingo às 19 horas.
Por: Laimons Bumbeers

Base: Mateus 7.13-29

quinta-feira, 28 de abril de 2011

O Mundo e Suas Alternativas

O sábio diz que o mundo não faz sentido. Alternativas úteis e inúteis nos são oferecidas  todos os dias. A maioria delas são inúteis. Dependendo das escolhas que fazemos quanto a como queremos viver ou como lidar com uma situação, nos levará a sermos úteis ou inúteis.
Cabe a nós refletirmos e escolhermos as atitudes que façam a diferença que desejamos sobre algo. Não escolher nada, também é uma escolha.
Nossas escolhas são influenciadas e influenciam a outros. Nossas escolhas são frutos do que queremos ser perante as pessoas que estão mais diretamente conosco, e com o mundo, inclusive com a história presente e futura. Estão inseridas no mundo e trazem morte ou vida.
As más companhias corrompem os bons costumes. Isso quando nós estamos acompanhando o que é mal, e é diferente de quando somos acompanhados.
- Filho, esse não é o menino que cola na prova e xinga o professor?
- Cara, essa moça não é aquela que estava bêbada e drogada quando passamos de carro e a vimos jogada na calçada?
- Amiga, esse não é quele homem casado que está com problemas no casamento?
O que você responderia mediante alguns questionamentos como esses acima? Como saber o que escolher? Como escolher a melhor alternativa, que faça com que possamos fazer do mundo um lugar melhor pelo menos quando a escolha parte de nós mesmos?
Acabamos sendo ensinados pelas alternativas do mundo que dizem que “A gente somos inútel”, e infelizmente muitos de nós acabamos crendo nisso, e assim vem a mediocridade!
Vamos refletir sobre isso neste Domingo!
Convido você e sua família a estarem conosco na MB 9 de Julho:
Rua Marechal Renato Paquet, 66 - Jd. 9 de Julho - São Paulo - SP
                          By: Laimons Bumbeers

sábado, 12 de março de 2011

Quem é Jesus – Parte II

Estamos refletindo numa nova série intitulada: Quem é Jesus?
Vimos no domingo passado, como o homem que foi criado por Deus, se distanciou de Deus, e seu mundo ficou desequilibrado, e o homem precisava então se religar a Deus.
Deus age a favor do homem, com seu amor, e então:
- Dá as suas Leis ou o padrão pelo qual o homem deveria viver para estar no mesmo nível que Deus;
- No Antigo testamento, desde o Genesis Deus já faz a promessa de enviar um Salvador, um Messias;
- Em todo o Antigo Testamento, o homem se mostra incapaz de cumprir as Leis, ou viver nos padrões de Deus e Ele continua enviando a promessa do Messias através dos tempos;
- O Homem era pecador, e o pecado não pode se conectar a Deus, então o homem deveria morrer, já que não era possível se purificar dos pecados, ou ficar bem com Deus pela Lei, então Deus ainda dá outro caminho: Como o homem deveria morrer, ele poderia trazer um cordeiro sem defeito, ou seja, um animalzinho sem culpa, e perfeito, e esse animalzinho era sacrificado no lugar do homem diante do altar de Deus.
- Deus, com seu amor e misericórdia, sempre estava mostrando ao homem como seria a salvação através do Salvador prometido. Deus entendeu que era necessário salvar o homem, e a morte do cordeirinho nada mais é do que o símbolo do sacrifício perfeito que seria Jesus Cristo morrendo na cruz, o Cordeiro de Deus, sem culpa, perfeito, morte no meu e no seu lugar.
Nasce em Belém o menino que era a promessa, o Verbo que se fez carne.
Vamos ver como foi o nascimento, e  como era o mundo na época de Jesus, como o mundo o recebeu, como eram as estruturas religiosas, etc.
Apertem os cintos! A jornada continua!
Vamos lá?
Reflita conosco aos Domingos na MB 9 de Julho - Ru Renato Paquet, 67 - Jd. 9 de Julho  - às 19horas.

                              Por: Laimons Bumbeers

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Priorizando Relacionamentos, com o próximo e com Cristo!

             Provavelmente ficaríamos surpresos se fizéssemos a conta de quantas vezes deixamos de nos relacionar com alguém, porque demos prioridade a afazeres do cotidiano. As amizades já não são tão próximas. Há o convívio digital através de emails, celulares, etc, no entanto o contato pessoal/social “olho no olho” tem se esfriado ao longo do tempo.
Isso ocorre muitas vezes até dentro de casa, com os pais, com os filhos, irmãos, marido e mulher. Não encontramos tempo para desenvolver relações sadias, e tudo fica relativo, inclusive a compreensão de grau de intimidade, quem é amigo, quem é colega, quem é um amigo mais chegado que um irmão.
Enfim, nessa relatividade, acabamos escolhendo, e muitas vezes escolhemos errado. Confiamos em quem não deveríamos confiar, não valorizamos aqueles que realmente estão dispostos a serem amigos, aqueles que verdadeiramente querem compartilhar vida conosco.
Com isso, quero chamar a atenção para um outro relacionamento, aliás, o relacionamento que faz toda a diferença, e que também pode se relativizar, pode se esfriar. É o seu relacionamento pessoal com o Senhor Jesus Cristo.
Nossas atividades no dia-a-dia, e principalmente na igreja, por muitas vezes nos leva a estar próximos de Cristo, mas não temos sequer tempo para falar com Ele de coração aberto, quebrantado, e nem mesmo conseguimos ouvi-lo.
Alguma vez, ao término de uma celebração/culto, você saiu, e percebeu que não lembrava o que o pregador tinha falado? Muitos de nós podemos recordar de momentos assim, onde não conseguimos ter a atenção voltada para Jesus, pois nossa mente está ocupada com nossos problemas pessoais, ou estamos em ação para servir, mas não temos tempo de ser servidos por aquele que veio para servir: Jesus Cristo!
Apesar disto, Jesus continua disposto a nos servir, não só, mas principalmente através da igreja, onde o povo de Deus atua de forma a imita-lo, e assim transparecer o seu amor de serviço.
Conforme Lucas 10.38-42.
38 Caminhando Jesus e os seus discípulos, chegaram a um povoado, onde certa mulher chamada Marta o recebeu em sua casa.39 Maria, sua irmã, ficou sentada aos pés do Senhor, ouvindo a sua palavra. 40 Marta, porém, estava ocupada com muito serviço. E, aproximando-se dele, perguntou: "Senhor, não te importas que minha irmã tenha me deixado sozinha com o serviço? Dize-lhe que me ajude!" 41 Respondeu o Senhor: "Marta! Marta! Você está preocupada e inquieta com muitas coisas; 42 todavia apenas uma é necessária. Maria escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada".

Como você tem vivido? Como Marta ou Maria? Ambas estavam diante de Jesus, mas cada uma se achegou de uma forma diferente diante do Mestre!
A Palavra de Deus nos encoraja a sermos como Maria, e escolher a parte boa, que foi priorizar o relacionamento pessoal com Cristo, estar aos pés do Senhor Jesus, ouvindo-o! A certeza é: Esta parte não será tirada de nós!
Priorize relacionamentos, com o próximo e principalmente com Cristo!

                                  Por: Laimons Bumbeers

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Um Ano Novo, Desejar Ser Deus, Liberdade Pela Graça, Viver Adversidades: O que há de novo nisso tudo?

Neste mês falamos sobre o ano novo, sobre o desejo do homem em seu egocentrismo se colocar no lugar de Deus, sobre a Graça que apesar de nós, é dada sem que nos esforcemos, pois é Graça de graça, e falamos sobre a presença da adversidade onde devemos agir em favor dos caídos.

Relembrando algumas reflexões nesses temas:
- Ano novo – Nos depararemos com algumas questões, e precisamos estar prontos para respondê-las, como seguidores de Cristo (individualmente), e como igreja (comunidade);
- O Homem Querendo ser Deus – Desde o Éden o homem vive se colocando no lugar de Deus, o grande desafio é viver como Jesus nos propõe, imitando-o e deixando Ele ser o Senhor de nossas vidas;
- A Graça que Liberta – O desafio é viver o equilíbrio da liberdade que está entre o legalismo e a libertinagem;
- A Presença da Adversidade – Jesus está nos enviando pessoas, caídas pelo caminho, e como o Bom Samaritano, não sejamos cegos, antes, paremos para olhar ao próximo, estender a mão. Jesus paga (já pagou) a conta!
O que há de novo nisso tudo?
A novidade depende de como você já vive o cristianismo, depende de como você age diante dessas reflexões. Surge então um novo desafio:
Ser uma igreja (individualmente e coletivamente) relevante para esta geração.

Em Atos 13:36 a Palavra de Deus diz: "Tendo, pois, Davi servido ao propósito de Deus em sua geração, adormeceu, foi sepultado com os seus antepassados e seu corpo se decompôs.”

Relembrando um admirado Pastor que disse sobre o cristianismo na pós-modernidade, ele disse: “...ser relevante em 1.400 exigia algumas atitudes da igreja, ser relevante em 1800 exigia outras atitudes. Ser relevante em 2011, exige ainda outras.”
O Evangelho é o mesmo e imutável, mas as atitudes, precisam ser diferentes. Não adianta utilizar uma mentalidade lá de 1.400 (pré-modernismo) e tentar ser relevante hoje.  A eficácia seria quase zero, ou negativa.

Conforme a palavra de Deus em Atos, você precisa:
- entender o propósito de Deus para esta geração;
- atualizar-se quanto as mudanças que estão ocorrendo nesta geração (cultura, tecnologia, informação, etc);
- colocar-se diante de Deus com seus dons, para servir aos propósitos de Deus para esta geração, a nossa geração.

Isso significa repensar nossas práticas religiosas e nossos modelos de vivencia cristã. É fato que isso dá muito trabalho, mas por outro lado, fazer menos que isso, ou não olhar para essas questões é pensar pequeno, é agir com mediocridade (ser medíocre é saber que se pode fazer mais e melhor, mas não fazê-lo).

Firmado em Deus e em sua Palavra, encorajo você a caminharmos juntos nesse propósito, não de apenas trazer as pessoas a Cristo, mas de levá-lo às pessoas. Aí sim, haverá algo novo para nós e ainda mais para aqueles que conhecerem as boas-novas, podendo viver em novidade de vida, beneficiados ainda mais pela graça de Deus em Cristo Jesus.

Vocês, porém, são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo exclusivo de Deus, para anunciar as grandezas daquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. 1º Pedro 2:9

                                           Por: Laimons Bumbeers

A Presença da Adversidade – Há algo novo nisso?


Ao fazer uma pesquisa rápida no Dicionário Michaelis sobre o significado da palavra ADVERSIDADE, encontramos outras palavras que chamou-nos a atenção, observe a nossa pesquisa:
- Adversidade: s. f. 1. desgraça, infortúnio. 2. Contrariedade. 3. Qualidade ou caráter de adverso.
-
Infortúnio: s. m. calamidade. 2. Desventura, infelicidade, desgraça.

- Calamidade: s. f. 1 desgraça pública; catástrofe
. 2 Grande desgraça.

- Catástrofe:
s. f. 1. Desfecho de drama trágico no último ato. 2. Grande desgraça.

Extraído do site r7.com


Todas as palavras, não somente as que estão em destaque, mas todas que você lê aqui estão extremamente presentes no nosso dia-a-dia. Mas destaquei algumas porque cabe ao momento atual de nossas vidas. Presenciamos os fatos que nossos irmãos brasileiros estão vivendo no Rio de Janeiro, Interior de Minas Gerais, algumas cidades de São Paulo e inclusive a Capital. Os relatos são fortes, os números são surpreendentes, mortos somente na região serrana já passam de 800, mas existem os quase mortos, aqueles que ficaram sem suas casas, sem seus familiares, sem nada, poderíamos dizer que ficaram caídos no caminho.

A parábola do Bom Samaritano nos ensina algo sobre a presença da adversidade, gostaria de escrever muito e muito mais, portanto quero resumir toda a nossa reflexão nas palavras de Jesus que nos diz:
“Eu lhes asseguro que, a não ser que vocês se convertam e se tornem como crianças, jamais entrarão no Reino dos céus”. Mt.18.3 

Apenas as palavras do Senhor Jesus bastariam, mas Deus não se faz calado para alguns pontos interessantes: Você consegue identificar nesta foto: a religião desta criança? A sua denominação? Suas vestes sacerdotais? Se a alma dele está salva do inferno? Se ele foi batizado? Se ele fala em línguas? Neste momento o garoto simplesmente apresenta-se como voluntário e age em prol da vida. Obrigado Jesus, por nos ensinar a sermos como crianças.
É chegada a hora da igreja de Cristo fazer-se presente na terra como seu Corpo vivo e restaurador, não apenas de almas, mas de tudo o que é surpreendido pelas adversidades da vida, de tudo que foi afetado pela queda, sabemos que não se trata de morte, espiritual, mas trata-se do afastamento do homem da orientação e companhia de Deus. As adversidades sempre estarão presentes, mas muito mais presente que as adversidades, o amor de Deus deve estar na ação daqueles que Ele redime, e passa a viver de um modo único: vivendo para que a vontade de Deus seja feita na terra como ela é feita no céu.
Quantas catástrofes serão necessárias para que a humanidade seja despertada a repensar como o mundo seria diferente se pararmos de conduzir a vida do nosso jeito e passássemos a viver do jeito que Deus quer que vivamos. Como é que você tem vivido? Já não bastam as adversidades que vive? Está esperando o que para voltar?


                         Por: Alexandre Xavier (@alexandresandal)

sábado, 15 de janeiro de 2011

[lei, LIBERDADE, libertinagem] – O Equilíbrio Entre os Extremos.

Por muitos anos, vi e ouvi diversos sermões sobre a Graça, sobre a Lei, e sobre o pecado. Geralmente, a mensagem central era a de que em Jesus estávamos debaixo da graça. Até aí, sem muita novidade, a não ser pelo simples motivo de que eu nunca havia entendido a real diferença entre Lei e Graça. O que eu não imaginava, era que entender a respeito da graça mudaria a minha vida e a forma de entender o evangelho. Descobri quem eu era: um Legalista! Eu que até poucos anos antes, havia vivido como libertino, sem lei, sem-Graça, passei de fora-da-Lei para assassino da Graça.
Bem, você só poderá entender melhor como me senti, se você entender pelo menos de forma razoável quais as diferenças entre a Lei, a Liberdade e a Libertinagem. Coloco a Liberdade entre as outras duas, porque a Liberdade é Graça, e precisa ser vivida com cuidado quanto aos extremos: Lei e Libertinagem.
Conforme Paulo diz aos Corintios: Mas, pela graça de Deus, sou o que sou, e sua graça para comigo não foi inútil; antes, trabalhei mais do que todos eles; contudo, não eu, mas a graça de Deus comigo. 1 Cor. 15.10 
  O Antigo Testamento (AT), nos revela a Lei, o padrão pelo qual deveríamos viver para agradar a Deus. No entanto, o AT inteiro nos revela que o homem é incapaz de cumprir a Lei, e a Lei não é ruim. A Lei é perfeita! Nós é que não somos perfeitos.
Então Deus envia Jesus, o Sacrifício Perfeito! Isto significa que não preciso mais sacrificar animais para me purificar dos meus erros! Além disso, quanto a Lei, ela tem um novo significado: Mostrar que sou pecador, mostrar que não há nada de bom em mim - alguns podem dizer: ah, até que eu não sou tão ruim assim – , e se há algo de bom em mim, isso não é meu, mas sim é dom de Deus, é misericórdia de Deus, porque eu não mereço nada. Mas em Cristo, é dada a salvação pela graça, e isso não vem de nós, mas sim por meio da fé em Jesus. É dom de Deus, e não por obras. (conforme Efésios 2.8-10).
Então, entendo que não preciso mais viver pela Lei. Entendi que não posso cumpri-la. Estou livre da lei! A Graça me deu liberdade de vida, para não viver mais por tentativas de ser perfeito, e sim ser imitador de Cristo. Sem a Lei, estou livre. Liberdade é a grande novidade!
No entanto, a graça tem o lado arriscado: Na graça sou livre, inclusive para pecar, mas o que a palavra de Deus nos ensina?
- 1º Cor 6.12 diz: Tudo me é permitido, mas nem tudo convém. Tudo me é permitido, mas não deixarei que NADA me domine!
- Rom 6.1 e 15 diz: Que diremos então? Continuaremos pecando para que a graça aumente? De maneira nenhuma! Nós, os que morremos para o pecado, como podemos continuar vivendo nele? E então? Vamos pecar porque não estamos debaixo da lei, mas da graça? De maneira nenhuma!
A graça me dá liberdade e por isso há o risco de eu viver no pecado, já que estou sem lei, acabo indo ao outro extremo que é a libertinagem. Paulo sabia que existia essa possibilidade quando ele ensinava sobre a graça. Ela realmente é arriscada. Então como devemos viver? Alguns conselhos:
- Buscando ser imitadores de Cristo, não para cumprir ritos, leis, agradar pessoas, etc, mas;
- Buscando a excelência no viver, que de fato só alcançaremos quando estivermos glorificados com Cristo, e assim;
- Prosseguindo para o alvo! Não por leis, não por uma vida vivida de qualquer jeito (libertina), mas vivamos com a Graça, com a Liberdade, mas;
- Vivamos com a Graça, com a Liberdade, buscando a cada dia, o Equilíbrio entre os extremos!
              Pois a Graça de Deus não me foi em vão! Por que Deus enviou seu Filho Jesus para morrer por mim e por você, e não nos custou nada, e nunca merecemos! Foi “de” GRAÇA mesmo, e ela é maravilhosa!
                                                    
                     por: Laimons Bumbeers

O Desejo de Ser Deus! Há algo novo nisso?

Com o novo ano, temos ouvido sobre os prováveis desafios e questões a serem respondidas pela Igreja no decorrer do tempo.
            Dentro do que temos refletido, temos refletido a frase: “Há algo novo nisso?”. Desejo que juntos pensemos em diversas situações que por vezes parecem ser novas, mas de fato não são! Independente de suas convicções,  pensemos a partir do texto a seguir:

Deus sabe que, no dia em que dele (do fruto) comerem, seus olhos se abrirão, e vocês, como Deus, (ou deuses) serão conhecedores do bem e do mal". Gn. 3.5

            Sabemos que podemos estudar com muita profundidade teológica o assunto em pauta, mas ao contrário, sugiro que pense o quanto eu e você temos no coração, este desejo que a serpente usou para fazer com que o primeiro casal viesse a perder sua comunhão com o Criador, e passar a viver ao seu bel prazer. Quantas vezes eu e você não temos tal desejo, dando ouvido ao mal que nos habita e pensando apenas em nosso EGO? Quando estamos no trânsito, no trabalho, na escola, na família, na igreja, em todo o lugar, somos tentados em escolher sermos igual a Deus, donos de tudo, e fazemos tudo conforme o nosso querer. A decisão do casal, de comer do fruto, levou-os a depender não somente de Deus, mas também de seus conhecimentos individuais. O desejo de Deus não é o de sermos robôs, manipulados por Ele, mas, seres que tenham um relacionamento pleno com Ele. No entanto, constantemente fazemos da mesma forma que Adão e Eva fizeram. Passamos por cima de qualquer um para que o nosso patamar não seja abalado, passamos até mesmo por cima do próprio Deus, com a nossa compreensão da vida. Não damos atenção ao nosso Criador que está insistindo sempre para que voltemos ao pleno relacionamento com Ele.
          Sinto em dizer que, se em algum dia você se deparou com questões de injustiça social, má distribuição de renda no seu país, violência contra criança, corrupção política, pessoas manipulando outras para que suas fontes de riquezas não diminuam, religiosos ensinando o medo, a culpa, a ganância para manter firme os seus fiéi$, se tudo isso alguma vez causou em você um certo desconforto, saiba que não há nada novo nisso, pois há muito tempo estamos separados do nosso Criador, fazendo tudo do jeito humano.
          Portanto, reflita! Será que não poderíamos viver em um mundo diferente, se observarmos que não há novidade na maldade, na destruição, que não possa ser superada pelo nosso arrependimento de viver e fazer as coisas a partir da visão que nos é dada pelo nosso Criador? Acima de tudo, cabe a você render-se à direção que Deus tem para sua vida. Se sua pergunta é: qual a direção? Digo-lhe: renda-se ao Amor de Deus e saberá claramente que não precisa ser como Deus, mas sim viver como Ele quer que você viva. Que sejamos imitadores de Cristo, imitando a Deus agindo como o Filho.
               Por: Alexandre Xavier - Adaptado por: Laimons Bumbeers

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Os 3 “As” que podem fazer a diferença na sua vida em 2011.



Introdução:
Estamos no início de um novo ano. Certamente você deve ter objetivos para 2011. Talvez alguns novos pensamentos ou quem sabe alguma coisa que em 2010 não foi possível realizar.
Normalmente as pessoas tem vários planos para o ano seguinte, alguns dos que eu já ouvi: em 2011 vou dedicar mais tempo à família, em 2011 investirei mais em meus estudos, em 2011 quero progredir profissionalmente, em 2011 vou me empenhar mais na causa divina, etc.
Planos sempre vem e vão. Algumas vezes são realizados, outras vezes não. Alguns são realizados porque Deus nos concede oportunidades e nós a aproveitamos, outros não são realizados porque nos acomodamos. Alguns de nossos planos podem ser frustados por Deus, porque não eram os melhores para nós.
O Eclesiastes, como um todo, nos convida a cada versículo a pensarmos sobre a vida, os planos e o modo como a vivemos. Vamos nos concentrar nos 3 “As” que o capítulo 11 nos traz para praticarmos durante todo o ano de 2011.

Amor (v. 1-3)
11:1 LANÇA o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás.
11:2 Reparte com sete, e ainda até com oito, porque não sabes que mal haverá sobre a terra.
11:3 Estando as nuvens cheias, derramam a chuva sobre a terra, e caindo a árvore para o sul, ou para o norte, no lugar em que a árvore cair ali ficará.

A Palavra de Deus nos ensina em I João 4:8 que devemos amar uns aos outros porque Deus é amor. Além disso, Jesus, resumiu os 10 mandamentos em 2: amar a Deus e amar ao próximo.
Percebam que a Bíblia toda nos fala de um Deus de amor, que por toda a História buscou demonstrar este amor em forma prática a toda a criatura.
Se já entendemos o amor de Deus e declaramos por meio de nossas palavras que O amamos , é nosso dever amar ao nosso próximo.
Amar ao próximo é repartir o que você tem e às vezes até o que você não tem. É repartir o pão, a atenção, um abraço ou até mesmo um sorriso.
Amar ao próximo é não adiar a ajuda quando se pode ajudar no momento. Amar ao próximo é socorrer a tempo, porque muitas vezes a demora em nossa ajuda pode causar danos irreparáveis.
Amar ao próximo é deixar de lado o egoísmo e a vanglória e não pensar duas vezes se tal atitude lhe trará recompensas ou glórias terrenas. Lembram-se do episódio em que Jesus curou os 10 leprosos? (Lc 17:11-19) Somente um voltou para agradecer.
Lance o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás – tal recompensa vem das mãos de Deus, no tempo certo e da maneira correta.
Que 2011 seja o ano de você demonstrar AMOR!

Ação (v. 4-6)

11:4 Quem observa o vento, nunca semeará, e o que olha para as nuvens nunca segará.
11:5 Assim como tu não sabes qual o caminho do vento, nem como se formam os ossos no ventre da mulher grávida, assim também não sabes as obras de Deus, que faz todas as coisas.
11:6 Pela manhã semeia a tua semente, e à tarde não retires a tua mão, porque tu não sabes qual prosperará, se esta, se aquela, ou se ambas serão igualmente boas.

É importante termos consciência de que Deus espera que nós tenhamos atitude. Ele é dono dos céus e da terra e tem poder inestimável e infinito, porém, percebam que praticamente em todos os milagres Ele solicita participação humana. Vamos citar alguns: transformou a água em vinho, mas pediu pra alguém encher as jarras; multiplicou os pães e peixes, mas foi preciso que uma criança trouxesse a cestinha com o lanche; abriu o mar Vermelho, mas foi necessário que Moisés tocasse as águas com a vara, etc.
Certamente você tem planos para este ano e talvez até já os tenha apresentado diante de Deus, em oração. Mas, saiba que Deus move céus e terra por aquilo que você não pode fazer, mas, naquilo que depende de sua atitude, Ele não moverá nenhuma palha.
Ele não te dará um emprego se você sequer olha os anúncios, ele não te dará uma promoção no trabalho, se você é aquele funcionário que vive se atrasando e fazendo as atividades com desleixo, ele não te dará êxito nos estudos se você sequer abre os livros para estudar ou vive faltando às aulas...
Não adianta ficar só olhando o tempo correr ou ficar pensando no que pode dar errado (olhar o vento e as nuvens). Se ficar desta maneira, nunca irá semear e por conseqüência, jamais irá colher o fruto almejado.
Já repararam que o acomodado sempre tem desculpas para tudo? Não vou sair de casa hoje porque pode chover, não sairei amanhã porque pode fazer muito sol, etc.
O v.6 nos adverte a não cairmos na zona de conforto e jamais pararmos de semear. Tal advertência é oportuna porque nem todas as sementes podem prosperar da mesma maneira. Muitas vezes há situações que nos pegam de surpresa e se estamos na zona de conforto, podemos ser facilmente abalados.
Sugiro que você pense em seus planos para 2011 com calma. Escreva-os numa folha de papel e ao lado de cada um pense e escreva qual deve ser sua ação para que cada um deles seja concretizado. Coloque todos os seus planos para 2011 nas mãos de Deus e peça para Ele lhe dar sabedoria e ânimo para que em 2011 seja um ano em que você tenha AÇÃO!

Alegria (7-10)
11:7 Certamente suave é a luz, e agradável é aos olhos ver o sol.
11:8 Porém, se o homem viver muitos anos, e em todos eles se alegrar, também se deve lembrar dos dias das trevas, porque hão de ser muitos. Tudo quanto sucede é vaidade.
11:9 Alegra-te, jovem, na tua mocidade, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade, e anda pelos caminhos do teu coração, e pela vista dos teus olhos; sabe, porém, que por todas estas coisas te trará Deus a juízo.
11:10 Afasta, pois, a ira do teu coração, e remove da tua carne o mal, porque a adolescência e a juventude são vaidade.

O Eclesiastes nos convida a nos alegrarmos, porém sempre lembrando de que a verdadeira alegria é aquela que tem origem em Deus, porque esta é eterna. A alegria que tem origem em Deus não contradiz Seus mandamentos e nem faz mal ao próximo. A alegria que tem origem em Deus não traz desgosto nem dor. A alegria que tem origem em Deus se multiplica!
Deus, a todo o momento, nos dá motivos para nos alegrarmos:  é muito bom desfrutarmos desta estação de verão e logo cedo já vermos o sol, aproveitar merecidas férias, descansar após 1 ano de trabalho intenso, conhecer lugares diferentes, passar um fim de semana em companhia da família e dos amigos queridos, compartilhar uma gostosa refeição, ouvir uma boa música, etc.
Busque a cada manhã de 2011 encontrar um motivo para se alegrar e até mesmo naqueles momentos em que as lágrimas insistirem tomar conta do seu viver, lembre-se de que a alegria vem pela manhã.
Que a sua motivação em 2011 seja Deus e que este seja para você um ano cheio de ALEGRIA.

Conclusão:
Amor, ação e alegria – são os 3 “As” que podem fazer a diferença na sua vida em 2011.
Pense com atenção em cada uma destas palavras e busque torná-las mais que meros conceitos na sua vida. Que sejam uma realidade.
Há 2 dias que você não pode viver: o ontem – porque já é passado e o amanhã - porque ainda não foi revelado. Então, aproveite para viver HOJE!
Não espere o amanhã para demonstrar AMOR ao próximo e nem deixe o tempo passar para que depois você fique pensando no bem que você não fez.
Não espere o amanhã para AGIR. Lembre-se que você pode chegar ao fim da vida sem ter conquistado os seus sonhos pelo simples fato de ter se acomodado.
Não espere o amanhã para se ALEGRAR. Aproveite os momentos que Deus te deu, a sua saúde, a sua família, as oportunidades de divertimento sadio. Lembre-se em todos os momentos do Seu Criador!
Amor, Ação e Alegria em Deus é o meu desejo para você em 2011.
                                  
                         Por: Joice Mota - http://joicemota.blogspot.com/